domingo, 21 de novembro de 2010

CAPÍTULO 17

Eu não sabia...

Só sabia de uma coisa, eu ia acabar com aquele desgraçado, se não fosse hoje seria outro dia, se não fosse nesse dia seria em outro, mas com certeza eu não desistiria de ter a minha vingança completa...

Agora vocês devem estar se perguntando "Quem é ele? E o que ele fez de tão terrível?"

Para lhes responder vou descrever a cena à minha frente...

Vejo um Sam caido no chão, com sangue à sua volta, estava pálidoquase sem cor e em seus olhos ainda restavam algumas poucas lágrimas que deve ter derramado antes de morrer, acho que tentando defender Nica, que por sua vez estava no colo de Adrian, com o pescoço na boca dele... Mas não era o Adrian demonio, era aquele deste tempo, que me ofereceu hospedagem e me convidou para esta festa. Bom, acho que o substimei achando que ainda era bom...

- Você é um vampiro? - perguntei à ele.


Mas foram as três mulheres atrás dele que me responderam:


- É claro que não sua tonta, ele só precisa de um pouco de sangue fresco para completar a transformação, mas não se preocupe, sua amiguinha não vai morrer, mas também não posso dizer que irá ficar completamente viva... Ao contrario do namoradinho dela que não tem mais serventia pra ninguém...


- Vocês vão pagar pelo que fizeram aos meus amigos... Guardem minhas palavras....

- É mesmo Agata? E, me diga, porque estou super curioso agora, como você irá fazer isso, minha anjinha? - dessa vez foi Adrian que me respondeu, tirando seu rosto da jugular de minha melhor amiga, seu queixo ensopado de sangue.


Tive vontade de vomitar.


- Eu encontrarei um jeito, acredite no que eu falo, pois não sou a menininha fraca que pensas que sou.


No meio disso tudo já havia me esquecido do tarado, olhei pra todos os lados, ele havia sumido...


Sumido... Me lembrei de outra pessoa... Não acredito que também me esqueci dele...


- Adam... Onde ele está?


- Não sabemos, mas é melhor você achar primeiro, porque se ele cair em nossas mãos não sobrará nem um ossinho de recordação.


Tinha que procurar Adam e achar aquele livro, bom , o livro acho que já sei onde deve estar, mas Adam... Aí a história já ia ficar um pouquinho mais dificil.


Olhei pra todos os lados, como eu iria conseguir acha-lo e ainda sair desse lugar sem ser seguida, trancafiada ou, pior ainda, morta? Mas eu tinha que continuar, de jeito nenhum eu iria deixá-lo a merce desses demonios, nunca faria isso...


Viro as costas para olhar atrás de mim mas, em seguida caiu no chão, sinto uma forte dor em minhas costas, parece que minhas asas estão sendo arrancadas de mim a força, não consigo pensar direito de tanta dor, a cada punhalada parece que o mundo gira em volta de mim.


- O que... O que está acontecendo comigo? - sussurro.


- Oh pobrezinha... Ainda não se deu conta... Nunca vire as costas para uma bruxa.


Viro minha cabeça o máximo que consigo em direção as bruxas e vejo Aurora com um bonequinho de vudu com minha aparência em suas mãos, tinha até mesmo asas.


- Como...?


- Você é muito ingênua ou burra mesmo? Pensa que eu não teria uma arma em minhas mãos se você viesse aqui hoje e tentasse acabar com a nossa festinha? - a cada palavra falada, ia tirando, uma por uma, as penas de minhas asas. Olhei ao meu redor, era verdade, penas pretas jaziam no chão em torno de mim.


- Voto pelo burra - Felicia à responde por mim. Quanta generosidade, já que eu nem mesmo consigo falar direito... 


- Olhe como ela sofre Adrian! Aprenda a sentir gosto por isso, pelo sofrimento, ter prazer em ouvir seus gritos de agonia... Ha-ha-ha!


- Não seria melhor ainda então fazê-la nossa prisioneira, pra ela ver o que irá acontecer com sua tão amada amiga - que agora estava desmaiada no colo dele - e com o namoradinho da mesma? - Adrian, de pouco em pouco, estava me dando ainda mais repugnancia.


- Ótima ideia, estou vendo que voê será um aprendiz excelente ! Mas antes, deixe-me ter um pouco mais de diverção!


Enquanto ela me fazia sofrer mais e mais, destruindo minhas asas, tentei localizar Adam com minha mente. Quando estava prestes a me deixar levar pela inconsciencia, senti sua energia em algum lugar próximo e lhe mandei uma mensagem bem clara com minhas últimas forças :


- FUJA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário