quarta-feira, 23 de junho de 2010

CAPÍTULO 6

Garoto Sombrio

Malditas bruxas, sempre estragando tudo. Se tivessem ficado quietas eu já teria a garota em minhas mãos agora, mais não, tinham que começar a dar aquelas suas risadinhas irritantes. Só trabalho com elas porque se não me mandam de volta de onde eu sai.

Confesso que fiquei surpreendido quando vi a garota pela primeira vez, Agata, é muito bonita do seu jeito, tem cobelos no comprimento dos ombos, pretos azulados, alta, tem o rosto pálido, olhos bem sombreados, com certeza é gótica, o que a torna ainda mais desejável pra mim.

Voltando nos acontecimentos que estão acontecendo agora, eu não poderia mais enfeitiá-la para vir até mim,sem ma cansar para procurá-la. Bom, ainda bem que eu consigo, pois sou em parte rastreador - na verdade sou parte de vários dmonios, não me pergunte por que - comecei a cheirar o ambiente e em algum lugar próximo de onde estavamos havia um cheiro de canela e de outras ervas, na minha cabeça veio sua imagem, segui em sua direção.

Quando cheguei no comodo, que aparentemente era seu quarto - defino isso pelos posters de bandas e caras sem camisa - eles estavam fugindo, ela pelo que pude perceber estava sendo toda boazinha e deixando seus amigos saírem primeiro. Com minha rapidez cheguei até ela quando o último de seus amigos tinha saído, segurei-a pelo braço e olhei em seus olhos, havia algo diferente neles, algo que não era hmano, logo percebi que o verde de seus olhos eram contornados por roxo e azul, fazendo dela parte do meu mundo, quando a olhei também senti alguma coisa, algo como um calor em meu coração , que a muito tempo fiquei em dúvida se existia, mais devia ser só imaginação minha, afinal o que ela tinha para me fazer sentir assim, admito que era bonita e adoraria tê-la em meus braços, mas só isso...nada mais...eu acho...

Nem percebi que enquanto a encarava desafrouxei meu aperto em sus braços e ela já tinha escapado e estava muito longe, correndo para seus amigos.

domingo, 20 de junho de 2010

CAPÍTULO 5

Puxei com mais força o braço de Nica para correr mais rápido e não se perder.

Alguns segundos depois já estávamos no centro.

Comecei a procurar a barraquinha de lanches do Sam e do Adam para nos ajudar a sair dessa cagada.

Quando os encontramos, eles dois olharam pra nós duas, que agora devíamos estar um caco, com as roupas rasgadas, sujas e suadas, o cabelo então nem se fala, como se quisessem perguntar o que havia acontecido, mas algo no meu olhar lhes disseque não tínhamos tempo para perguntas.

- Vamos, rápido, comecem a correr - falei e olhei para trás mais uma vez, nossos perseguidores estavam cada vez mais próximos e pela sua rapidez não tínhamos mesmo tempo.

Virei para encarar meus amigo, e eles estavam com as caras mais assustadas do mundo, pareciam que tinham visto um fantasma, o que na ocasião foi quase,e começamos a correr. Adam nem se importou de deixar sua barraquinha, só teve tempo de pegar o dinheiro do caixa caso precisacemos, o que era certeza.

Continuamos a correr no meio da multidão e descobri porque havia tanta muvuca, tinha sido reaberto hoje o antigo parque de diversões, que eu jurava que era amanhã. As lendas sobre ele ser assombrado podiam não ser verdade, mas que agora havia ali dentro três bruxas e outro garoto que eu não sabia o que era, e nem sei se queria descobrir, era verdade.

Corremos até chegarmos no escorregador que dava pro subsolo do parque onde havia uma estação de metro.

O metro já estava partindo, mas por sorte conseguimos embarcar antes que fechasse, nos separando do que quer que estava nos seguindo.

- Agora me explique o que eram aquelas coisas? - Sam questionou olhando pra mim e para Nica bravo.

- É que, tipo assim... Eu e a Nica sem querer demos vida a três espécies de bruxas e outra coisa que eu não tenho certeza do que é.

- O QUE???????????

- Aonde vamos agora? Porque duvido que eles vão nos deixar em paz e nossa casa vai ser o primeiro lugar onde eles pensam que vamos ir.

- Talvez não, porque sempre nos filmes e livros sempre falam isso e os fugitivos nunca vão pra lá, só que os perseguidores também nunca vão pra lá - respondi a pergunta de Adam tentando fazer algum sentido, uma coisa pouco provável.

- Tudo bem vamos tentar.

Seguimos para nossa casa que só ficava a duas quadras de uma estação de ônibus.

Eu estava certa, não havia ninguém em casa.

- Sam, pegue comida da dispensa e ponha em qualquer mochila que achar. Adam vá até seus quartos e pegue as suas roupas e a do Sam. Nica, vá até o banheiro e pegue escovas, pentes, esse tipo de coisa, enquanto eu arrumo nossas coisas - falei dando instruções pra todos, eu sei, ás vezes eu sou um pouco mandona.

Quando todos já estávamos arrumados para sair, a porta da um rangido e a força acaba, nos deixando no escuro. Consigo sentir uma presença fria entrando na casa, tá bom, então a minha teoria de ir pra casa possa estar um pouco errada.

- AAAAAAAAAAgata - uma voz doce mais ao mesmo tempo grossa, sussurrou me chamando, me encantando no escuro.

Ao fundo pude ouvir três risadas finas e estridentes. Foi só por causa disso que eu não sai de onde eu estava - pode ter sido também o aperto de ferro de Nica no meu braço - para ver de quem era aquela voz tão linda - para os mais ousados sensual - apesar de já ter uma ideia de quem poderia ser.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

CAPÍTULO 4

Viro a primeira pagina do livro e me deparo com uma profecia:

"Tatuada uma rosa vai estar
no ombro da pessoa que o corvo amar
as asas ela terá de sacrificar
cair se por ele se interessar
a rosa e o corvo vão estar
aos poucos aprendendo a se amar
quando estiverem nos braços um do outro todos vão se curvar
aviso-lhes que isto vai ser triste, e que vão querer chorar
pois a rosa e o corvo não são coisas fáceis de se lidar"


Me deu calafrios só de ler este pequeno tipo de poema e automaticamente minhas mãos foram para as costa, onde minhas asas deveriam estar se pura caso eu fosse uma
anja inteira.

Então não tem porque eu me assustar certo? Aquilo não estava falando de mim, nem tatuagem eu tenho, mesmo que quisesse muito ter uma. Mas eu tenho um mau pressentimento sobre isso e nunca é sensato virar as costas para qualquer
pressentimento de um anjo, mesmo que no caso eu seja só metade, e também eu não vou me apaixonar por ele mesmo, meu príncipe acabou virando um sapo da pior categoria, então não tinha porque eu ficar pensando nisso.Mas me pergunto quem seria a condenada que a profecia estaria falando, que dó.

Abaixei os olhos mais uma vez para o livro e continuei lendo:


" Se ainda quiseres saber mais sobre esta história virem a página, se não, lhes pergunto: Por que pegou isto então, se não para descobrir algum terrível segredo?"


Uhhhh
. Frase direta. Gostei.

Diante dessa frase o que mais eu poderia fazer, adivinhem, virei a página,
ohhhhh.

Lá vi que tinha um tipo de feitiço. Será que era o Livro das Sombras de
Charmed? Dificilmente, pelo que eu me lembro da série a capa do livro era diferente, que pena... Voltando ao mundo real, aquele era um tipo daqueles feitiços que libertam os poderes, na verdade não faço nenhuma ideia do que se trata, nunca fui boa em decifrar essas coisas.

Assim chamei a única
espertinha que havia sobrado naquela casa vazia e, vou colocar mais um adjectivo muito assustadora de noite. Que clichê.

- Nica! - gritei do meu quarto.


- Que foi?


- Vem aqui no meu quarto, é urgente!


Ouvi barulhos enquanto ela vinha.


Quando ela entrou e sentou na minha cama, perguntou:


- Então, qual é o grande problema?


- Sabe aquele livro que eu comprei na livraria? - não
Ágata, você comprou ele no cemitério.
Pensei comigo mesma.


- Sei.


- É que... Sabe... É um livro de bruxaria...


- Não é o Livro das Sombras, é? -
viu? Não fui a única que pensou isso.

- Não, infelizmente... Enfim, eu te chamei aqui, porque eu não sei nada de decifrar esse tipo de
coisa, e como eu tenho uma melhor amiga super
CDF... Será que dá pra me ajudar?

- Tá mais eu só vou fazer isso porque estou curiosa.


Mostrei a ela o feitiço:


"Nada poderá separar

O que depois disso unirá
Seus poderes com força total irão voltar
A beleza perigosa se erguerá
Não haverá lugar x3
Onde ela se esconderá
Porque ele com certeza ira achar
E tudo mais uma vez recomeçará"

Sei o que
vocês vão estar pensando "UAU", ou talvez não, só "Que tédio", não sei, sou meia anjo não médium.

-
UAU! - Nica diz.

"A-
ha, a-ha, a-ha, a-ha, a-ha"(músiquinha). Acertei.

- Então
o que você acha?

- Fala sobre libertar o poder de alguma coisa, uma coisa linda e ruim, pelo que percebi, que vai
fazer de tudo para perseguir uma pessoa, não sei, só consegui isso.


- Só?


Então pensei em uma coisa.


- Sabe, acabei de pensar em um negócio.


- Sério? Então é por isso que está cheirando queimado.


- Para de brincadeira.
E se a gente fizesse esse feitiço só pra ver o que acontece?

- Ah, sei não, eu tenho um pouco de medo de mexer com isso.


- Vamos lá, vai ser divertido!


- Não sei...


- Eu limpo a casa por uma semana se você fizer isso.


- Me convenceu, vamos logo, antes que eu me arrependa.


Fomos para a sala, botamos o livro em cima do a
parelho de som do Adam e começamos a repetir
o que estava escrito.


Depois de repetir três vezes
certinho, nada aconteceu, bom.. que chato.

De repente sinto a casa tremer em uma explosão de luz, dando vida a três mulheres, que entre elas estava a muito amorosa Aurora, então devo supor que as outras também deviam ser bruxas.


Que sorte.


Agarrei a mão de Nica e com a outra puxei o livro e corri.Percebi também que o aparelho de som
já era, bem feito, e que com a explosão nossas roupas também
eram.

O bom foi que não precisamos correr muito para encontrar a saída, meu quarto era
pertinho dali.

A rua estava movimentada, devia estar havendo alguma comemoração no centro.


Nos infiltramos no meio da multidão para elas não nos verem. Quando olhei pra trás havia três mulheres sinistras que se destacavam na multidão, com vestidos medievais fora de moda. Mais eu não estava mais prestando atenção nelas e sim numa figura atrás delas, o meu garoto sombrio,
ele estava usando o mesmo sobretudo preto, se misturando com a escuridão da madrugada, as únicas cores eram seus olhos verdes jade. Quando percebeu que eu o estava olhando, seus olhos se tornaram um vermelho purpura e eu sabia que eles já tinham achado nossa localização.