quarta-feira, 12 de maio de 2010

Prólogo

14 de Janeiro de 2011

O começo de minha história pode ser um pouco clichê, a garota revoltada com a mãe, pois ela a pôs em um internato cheio de riquinhos, mas não acontece só isso, longe, muito longe disso parar por aí, minha história pode ficar um tanto conturbada com o passar das páginas, ás vezes tenho de me lembrar que estou falando de mim mesma, que tudo aquilo não foi somente um sonho ou um pesadelo. Vou contar tudo a vocês, como se estivesse vivendo tudo novamente. Começando do começo.

25 de Junho de 2010

Realmente ser a única meio anjo desta escola já esta me dando raiva. Sabe como é ter de se controlar para não socar e, literalmente, quebrar a cara daquelas patricinhas que se acham a melhor coisa que já foi feita na Terra? Bem, deixe-me dizer uma coisa por telepatia para elas: “Vocês são as cretinas mais idiotas do mundo, a beleza e o dinheiro podem te ajudar agora, mas o que vão fazer quando chegar a hora de se especializarem em algo, hein? Nada! Vão ser dependentes do papai pelo resto da vida!”
Desculpem-me pelos meus modos, mas minha mãe não poderia ter me posto em um internato melhor do que este. Eu tentei, e digo novamente, tentei, tento e ainda tentarei que ela me tire deste hospício, já faz cinco anos desde que fui aceita aqui e desde então minha adorável mãe nunca mudou de ideia, acho que isto é um sinal para mudar de tática. Mas apesar de tudo, aqui em Taquara, RS, consegui grandes amigos, amigos que irão durar pela minha vida toda, pelo menos assim espero. Monique é a mais nova de todos nós, ela é a famosa loira de olhos azuis e totalmente delicada e feminina, às vezes me pergunto como nos damos tão bem, Vinícius é um garoto muito bonito, cabelo castanho claro, olhos verdes, corpo perfeito, nem bombado, nem magro ao extremo, é mão de vaca e já teria uma namorada se não fosse por este pequeno problema, também é arrogante e sarcástico, uma perfeita cópia minha, já Sam é tudo que uma garota normal – não estou incluída nesta lista - poderia querer, alto, loiro, bronzeado, corpo sarado e eterno objeto de admiração por parte de Monique e do resto das meninas deste colégio. Entretanto, apesar de ter dois Deuses Gregos como amigos – sendo que um desses Deuses pode ter meu interesse – estou totalmente fixada em um garoto imaginário, fruto de meus loucos e indecifráveis sonhos.
Uma garota meio anjo com certeza tem que ter seus benefícios, não? Eu sou bonita – pelos padrões normais, é claro – meus cabelos negros azulados batem em minha cintura, minha pele é perfeita, meus olhos são enormes e a cor gira em torno de um castanho no começo terminando num verde mais claro ao final. Sou bastante forte e tenho uma incrível resistência, pena que isto não combata minha completa falta de coordenação, mas afinal, nem sempre podemos ter o que queremos.
Estando na adolescência seria esperado de mim escrever uma diário para me abrir com alguém - que seria um caderninho de papel - mas, ao invés disto, estou escrevendo meu próprio livro, minha biografia, que mais tarde vai ser marcada como ficção. Mas é realmente chato pensar em escrever um livro sobre sua vida, quando não acontece nada de interessante nela a ponto de por no papel.

Um comentário:

  1. Nossa, adoro histórias de anjos.
    Vou continuar lendo.

    http://sussurroaovento.blogspot.com/

    ResponderExcluir